segunda-feira, 28 de abril de 2008

A tese em Visconde de Mauá . Número-2

Pega mais um pouco de estrada de terra, aumenta o som de seu carro e segue em direção a Visconde de Mauá. Depois de mais alguns buracos, finalmente entra numa vila rusticamente urbanizada, passa na frente de uma igrejinha e vê no fim da rua um boteco aberto com apenas dois senhores conversando. Encosta o carro e desce para conversar:

- Boa noite Senhores, aqui já é Visconde de Mauá? Como faço para chegar na vila da Maromba?

- Boa noite. Respondeu o Senhor atrás do balcão.

- Sim, aqui é a vila de Visconde de Mauá, 7 km a frente fica a vila de Maringá e depois tem mais 3 km para chegar a vila da Maromba.

- As 3 vilas pertencem a Visconde de Mauá ? Perguntou Lutti.

O Senhor levanta da cadeira e diz: - É uma pergunta complicada , mas se tiver tempo posso lhe explicar.

- Sim tenho tempo, minha pressa deixei na cidade. Responde Lutti.

vila1

- Então vamos lá. Sim as três vilas pertencem a Visconde de Mauá. Antigamente, a estrada terminava aqui e aqui era a única vila da região de Visconde de Mauá, ao longo do tempo os imigrantes europeus começaram a subir o rio em busca de novas terras para formar novos núcleos de colonização, formando as vilas de Maringá e Maromba. Como a vila de Visconde de Mauá era o primeiro núcleo de colonização, acabou dando o nome a toda região. Ou seja, estar em Maringá e Maromba é estar em Visconde de Mauá, tanto que depois, com a consolidação da região como pólo turístico, estas vilas começaram a ter mais destaque, já que nelas estão os principais atrativos turísticos da região de Visconde de Mauá.

-Puxa , muito obrigado pela aula. Como o Senhor se chama? Acrescentou Lutti.

- Meu nome é Pedro, sou o guarda florestal da APA, área de proteção ambiental, moro aqui ao lado. Seu nome é?

- Meu nome é Luciano, mas pode me chamar de Lutti. Tirei alguns dias de folga para terminar minha tese de doutorado aqui em Visconde de Mauá, vou ficar numa pousada acima da vila da Maromba. Mas antes precisava encontrar algum restaurante aberto. Onde acho um?

-Olha, a maioria dos restaurantes da região de Visconde de Mauá fica na vila de Maringá, caminho para quem vai para Maromba, mas como já é tarde, não sei se você vai encontrar alguma coisa aberta. Responde Pedro.

-Você tem alguma coisa para comer aí? Pegunta Lutti para o dono do Boteco.

-Negativo. Responde o dono.

-Tudo bem vou seguir estrada a dentro para ver se acho alguma coisa. Basta eu seguir esta estrada que chego na próxima vila, certo? Confirmou Lutti.

moon5

-Exatamente, esta estrada é a única que une as três vilas e corre paralela ao rio, começa aqui, atravessa Maringá, Maromba e termina na cachoeira do Escorrega, onde começa o Parque Nacional de Itatiaia. No caminho, você vai passar na entrada dos vales do Pavão, das Cruzes e Santa Clara, não entre nos vales, basta manter a preferencial que você chega na vila de Maringá e depois na vila da Maromba.

Lutti agradece e segue em frente para a próxima vila .

Continua...

quinta-feira, 24 de abril de 2008

A tese em Visconde de Mauá . Número1

Já é noite, quando Lutti sobe sozinho as montanhas para Visconde de Mauá, veio em busca de um lugar tranqüilo para poder terminar sua tese de doutorado. Com um mapa na mão, ele segue o último trecho de sua viagem numa serra de estrada de chão.

f_map2

A lua cheia facilita seu traçado e o ajuda a desviar dos buracos com mais facilidade, o cheiro da mata atlântica ladeando a estrada invade seu carro prenunciando sua chegada em Visconde de Mauá.

Assim que faz a última curva no alto da serra, vê uma placa sinalizando um mirante, encosta o carro, desliga o motor, o farol e desce em sentido ao mirante para conferir, a medida que seus olhos vão se acostumados com a escuridão, uma vista panorâmica do vale vai se descortinando, começa a definir o contorno das montanhas contrastando com o céu e com muito esforço vê o rio refletindo o luar enquanto serpenteia o vale.

Fica parado por alguns instantes. Mais sintonizado com o ambiente, escuta a mata se revolvendo ao vento e o murmúrio contínuo das águas descendo montanha abaixo para encher o rio do vale . Pensa alto

- É, acho que cheguei em Visconde de Mauá.

Tenta registrar o momento, pega sua máquina e tira uma foto em vão da escuridão do vale. Entra no carro e segue em direção a primeira vila.

Continua ...

terça-feira, 15 de abril de 2008

Caminhando em Visconde de Maua

ja_cachoeiras

Aproveite em Visconde de Mauá para andar a pé o quanto puder, coisa rara nas capitais, onde andar de carro é uma constante. Durante o dia, explore as inúmera trilhas da região de Visconde de Mauá, a maioria não requer guia e termina em alguma cachoeira.

Não deixe de conhecer as cachoeiras da Santa Clara, Toca da Raposa, Escorrega, Poço da Maromba e do Alcantilado. Com certeza uma destas cachoeiras fica perto de sua pousada, pegue as informações na recepção de sua pousada, ou com algum local e aventure se numa caminhada .

Não tenha pressa e aproveite seu tempo, andar na terra, escutando o murmúrio do rio que brilha e entre o verde da mata é muito mais que caminhar é progredir onde o progresso não chegou.

Outra dica, caminhe acima da cachoeira do Escorrega margeando o rio que você vai se deparar com várias piscinas naturais de águas limpíssimas já que acima da cachoeira do Escorrega é o Parque Nacional de Itatiaia.

terça-feira, 8 de abril de 2008

Feriados em Visconde de Maua

Vem aí uma sequência de feriados: Tiradentes, Dia do Trabalho e Corpus Christi, uma ótima oportunidade para conhecer melhor a região de Visconde de Mauá. Pesquise bastante aonde vai ficar e não demore para fazer sua reserva, uma vez que as melhores pousadas lotam com semanas de antecedência, principalmente nestes feriados de outono-inverno quando as pessoas preferem mais montanhas às praias.

rede_ofuro

As mais de 50 pousadas ficam espalhadas por toda região de Visconde de Mauá , principalmente nas vilas de Maringá, Maromba, vila de Mauá, vale da Santa Clara, vale da Cruzes e vale do Pavão. Cada vilarejo têm suas peculiaridades, uma dica é ficar no eixo Maringá-Santa Clara-Maromba, um eixo de apenas 3km, mas que concentra 90% dos atrativos diurnos e noturnos da região de Visconde de Mauá. Boa viagem, a gente se vê por lá !

quarta-feira, 2 de abril de 2008

Pico das Agulhas Negras por Visconde de Maua

7Para chegar no Pico das Agulhas Negras por Visconde de Mauá você tem que ter muita disposição e um certo preparo físico , visto que é através de uma trilha sinuosa e que leva em média 5 horas para chegar . A maioria das pessoas dormem em abrigos improvisados no caminho , transformando a caminhada numa aventura ou até numa peregrinação . A trilha  começa na cachoeira do Escorrega , 3 km acima da vila da Maromba e a melhor época para a aventura é no inverno onde dificilmente chove , além de facilitar a caminhada ,  a ausência de nuvens revela muito mais estrelas .  O Pico da Agulhas Negras tem 2878 m de altura , é o segundo mais alto do Brasil , a trilha atravessa as principais nascentes que banham a região de Visconde de Mauá . No inverno é comum gear e algumas nascentes chegam a congelar formando pequenos lagos de gelo . A Aventura requer guia e equipamento apropriado .

4