sexta-feira, 9 de maio de 2008

A tese em Visconde de Mauá. n-3

Lutti retorna ao carro e entra na estrada de terra em sentido a próxima vila . Em alguns trechos , escuta o murmúrio do rio que corre paralelo a estrada , atravessa o rio do vale do Pavão , do vale das Cruzes e finalmente chega na vila de Maringá . Estaciona o carro na esquina de uma ruela , onde vê 2 restaurantes abertos e algumas pessoas vagando , pega seu agasalho e caminha em direção ao restaurante mais rústico .

Ao entrar , procura alguém para lhe antender e logo aparece a garçonete com o cardápio , Lutti não perde seu tempo e antes de sentar-se , faz logo o seu pedido . Dá uma olhada geral no restaurante e , apesar do frio , senta-se numa mesa externa onde vê o rio passando do deck do restaurante .

Stained Glass uid 759950

Quando chega a garçonete com sua água , Lutti não perde a oportunidade e pergunta sobre a vila . Ela explica que o rio é fronteira natural dos estados de MG e RJ e que a vila tem apenas duas ruas , uma em cada estado , interligadas por uma ponte de pedestre que fica a poucos metros do restaurante .

-Aliás , para onde está indo ? Pergunta a garçonete .

-Estou indo para uma pousada no alto da Maromba . Estou longe ? Pergunta Lutti .

-Não , daqui para a vila da Maromba são apenas 3 km . A estrada principal termina lá , se tiver dúvidas siga as placas para a cachoeira do Escorrega . 

-Obrigado , era só para confirmar , ví as placas para Maromba , mas a fome apertou e resolvir dar esta parada . Diz Lutti .

Lutti termina sua refeição ,  se esquenta um pouco no calor da lareira , paga a conta e segue em direção a vila da Maromba .

...continua...

Nenhum comentário: